logo1.gif








Quilombos Remanescentes
Mapa do BrasilDados da Fundação Cultural Palmares, vinculada ao Ministério da Cultura, revelavam que, ao final do ano de 2010  existiam 1.170 comunidades quilombolas certificadas e mais 3.524 em uma fila de espera para reconhecimento e certificação pelo Governo Federal, espalhadas por todas as regiões do Brasil, com uma população estimada em mais de 2,5 milhões de descendentes de escravos libertos habitando nelas.  Porém, outros dados de organizações do movimento negro que também fazem esse tipo de levantamento estimam que esse número de comunidades remanescentes deve ultrapassar os 5.500.
       
A Constituição Federal de  1988  assegurou aos quilombolas o direito às terras em que vivem e o decreto nº 4887, de 20 de novembro de  2003, oficializa o procedimento para identificação, reconhecimento, delimitação, demarcação e titulação das terras ocupadas.  Porém, ainda hoje, grande parte dessas comunidades remanescentes ainda não teve suas terras tituladas.
 
A questão  territorial das comunidades quilombolas é um assunto complexo de ser abordado: por um lado, verifica-se o direito legítimo à terra conquistada por seus antepassados, segundo reza a Constituição Federal; por outro, a dificuldade em se atender à demanda de terras em tempos de  crescimento da população brasileira, que aumentou  5 em número de habitantes de 1950 a 2011, e que sofre com a má distribuição de terras.
      
O INCRA (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária), calcula que, se forem atendidos todos os pedidos de titulação para comunidades quilombolas no Brasil, teria que titular uma área total de 25 milhões de hectares, o equivalente ao tamanho do estado de São Paulo (25,8 milhões de hectares).
       
A comunidade quilombola dos Palmares onde viveram Ganga Zumba, Zumbi e seus aliados, no município de União dos Palmares, em Alagoas, é a mais conhecida, dada a contribuição do Quilombo dos Palmares para a história, e ainda tem residindo e vivendo, famílias descendentes de negros que lutavam à época do regime escravocrata.       
 
A Comunidade de Quilombo Lagoas, localizada em áreas entre os municípios de São Raimundo Nonato, Fartura, Várzea Branca, Dirceu Arcoverde e São Lourenço, no estado do Piauí, é a maior comunidade oriunda de um quilombo ainda existente no Brasil, composta por uma população de 1498 famílias, com uma área estimada em mais de 62 mil hectares.
 
 
A Mulher no Quilombo <<-- Quilombos Remanescentes -->> Consciência Negra